Alckmin chega a Brasília como vice de Lula e ministro da Indústria e Comércio

Alckmin chega a Brasília como vice de Lula e ministro da Indústria e Comércio Confira!

Alckmin chega a Brasília como vice de Lula e ministro da Indústria e Comércio

Nomeação do ex-tucano para cargo na Esplanada sacramenta promessa de Lula de não isolar o vice-presidente do processo decisório

Alckmin chega a Brasília como vice de Lula e ministro da Indústria e Comércio
Imagem: Reprodução | Divulgação



Após quase 30 anos em lados opostos do tabuleiro político, o médico e ex-governador Geraldo Alckmin (PSB), 70, será o novo ministro da Indústria e Comércio de seu antigo adversário político, o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A pasta derivada do ministério da Economia foi recriada pelo petista e vai englobar também a estrutura do Banco Nacional de Desenvolvimento.

Alckmin assume o ministério após empresários de renome recusarem o convite ao cargo. Um deles foi o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Josué Gomes da Silva, que é é alvo de críticas por parte d um grupo de empresários que querem destituí-lo da Fiesp.

Estudioso de assuntos como reforma tributária, Alckmin tem bom trânsito no setor produtivo e, na avaliação de Lula, pode atuar como um facilitador do diálogo do governo com o setor industrial. O ex-tucano tem discutido em reuniões internas a respeito do novo arcabouço fiscal do País, a reforma tributária e as parcerias público-privadas. Nesta função, ele vai cuidar da política industrial do novo governo, e terá sob seu guarda-chuva de atuação a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Alckmin foi vereador e prefeito de Pindamonhangaba (SP), além de deputado estadual, federal e vice-governador. Também comandou o Palácio dos Bandeirantes por quatro vezes em São Paulo, sendo o político que chefiou o Executivo paulista por mais tempo.

Com perfil de centro, sua chegada no ministério sacramentou a promessa de Lula de não isolar o ex-governador do processo decisório. Ele também foi o escolhido pelo petista para coordenar o gabinete da transição, à revelia dos petistas.

Sua saída do PSDB, partido em que concorreu contra Lula nas eleições de 2018 e que marcava a polarização nacional até a candidatura do presidente Jair Bolsonaro (PL), indicou um declínio da legenda, que acabou não concorrendo nesta eleição. A sigla tucana se dividiu no cenário nacional.

A equipe econômica de Lula também contará com Fernando Haddad no Ministério da Fazenda, com o vice-presidente eleito Geraldo Alckmin no Ministério de Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior e com Esther Dweck no Ministério de Gestão e Inovação.

+Os melhores conteúdos no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua Newsletter favorita do Terra. Clique aqui!

Todos os Direitos Reservados
Developed By Old SchooL