ANÁLISE: ao Palmeiras, faltou ‘espírito de porco’ na derrota para o São Paulo, pela Copa do Brasil

Verdão não adotou a intensidade comum nos jogos desta temporada e chegou à quarta derrota em 40 partidas

revistabaiacu - 24 de junho de 2022
ANÁLISE: ao Palmeiras, faltou ‘espírito de porco’ na derrota para o São Paulo, pela Copa do Brasil



Faltou ‘espírito de porco’ ao Palmeiras no clássico contra o São Paulo, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, na última quinta-feira (23).

Com o desempenho infinitamente abaixo da média palmeirense na temporada, o Verdão parecia menos entregue e concentrado que o normal. Escancarou-se assim a ausência do ‘espírito de porco’, celebrado pela nação palestrina, em especial nas conquistas mais recentes.

Um exemplo claro dessa falta de ímpeto palmeirense no Choque-Rei foi o experiente capitão palmeirense, Gustavo Gómez, perdendo a dividida com Patrick, que resultou no gol da vitória são paulina, aos 34 minutos do primeiro tempo.

O Tricolor veio para o abafa, para diminuir os espaços do clube alviverde desde o primeiro minuto no estádio do Morumbi, e o Palmeiras, principalmente no primeiro tempo, praticamente viu o adversário jogar.

O Verdão costuma fazer esse tipo de jogo de pressão na marcação, diminuindo os espaços dos adversários, mas nesta quinta-feira (23) viu foi o São Paulo realizando isso.

Em vez de vender caro o resultado e começar a gerar dificuldades, o Palmeiras, pouco inspirado, sucumbiu aos comandos do Tricolor na partida.

Nem mesmo a ligeira melhora palmeirense no segundo tempo foi suficiente, já que a equipe alviverde seguiu pouco agressiva na frente, desorganizada no meio e dando muitos espaços atrás, quando o time do Morumbi emplacou bons contra-ataques.

Se o Palmeiras está acostumado a empilhar vitórias, a derrota no clássico contra o São Paulo pode ser importante para que o clube alviverde ‘recalcule rota’, e a comissão técnica olhe para possíveis problemas de um time que parecia ser perfeito, mas que mostrou que em alguns dias pode jogar mal, não conseguir manter o nível de concentração e entrega esperado e também pode estar dando os primeiros sinais de estafa física.