As melhores peças de 2022, segundo o crítico Dirceu Alves Jr.

As melhores peças de 2022, segundo o crítico Dirceu Alves Jr. Confira!

As melhores peças de 2022, segundo o crítico Dirceu Alves Jr.

Clássicos como 'Um Inimigo do Povo' e versão musical de 'O Bem-Amado' são alguns destaques

As melhores peças de 2022, segundo o crítico Dirceu Alves Jr.
Imagem: Reprodução | Divulgação



Especial para o Estadão – O espaço teatral em São Paulo no ano de 2022 foi marcado por uma variedade de temas, desde discussões raciais e sobre a morte até uma encenação que dialoga com um filme – de quebra, teve ainda a volta do prefeito Odorico Paraguaçu. Veja quais foram os dez melhores espetáculos do ano que termina:

O diretor José Fernando de Azevedo injeta discussões raciais e movimentação de classes em vigorosa e surpreendente adaptação do clássico do norueguês Henrik Ibsen.

Ricardo Gelli e Sara Antunes se consolidam como grandes atores na versão do diretor Nelson Baskerville para a obra de Tennessee Williams.

Apresentado no Mirada, em Santos, o espetáculo escrito e dirigido pelo uruguaio Sergio Blanco passou pelo Sesc Consolação com uma provocativa reflexão sobre a morte.

Laila Garin, como sempre, arrebata na pele da protagonista desta versão musical do livro de Clarice Lispector com canções compostas por Chico César e direção de André Paes Leme.

A dramaturga e diretora Janaina Leite pode ter chocado até os menos conservadores com sua livre investida pornográfica sobre a obra de George Bataille, mas quem viu, com certeza, não saiu do teatro indiferente.

O diretor Guilherme Weber levou ao palco três ótimas fábulas sobre a crise do capitalismo escritas pelo argentino Rafael Spregelburd. No elenco estrelado, destaque absoluto para a atriz Dani Barros.

Sob a direção de Elias Andreato, os atores Odilon Wagner e Claudio Fontana interpretam Sigmund Freud e C.S. Lewis em uma oportuna discussão sobre religião e tolerância.

Ricardo Grasson dirigiu a bem-sucedida e atualíssima versão musical do clássico político de Dias Gomes embalado por canções de Zeca Baleiro. Cassio Scapin, como o prefeito Odorico Paraguaçu, liderou o afinado elenco.

Sempre surpreendente, o diretor Jorge Farjalla criou uma encenação que dialoga com o filme de Michel Gondry e, entre a melancolia e o humor, prova que teatro também pode atrair o interesse de um grande público jovem.

Sob a direção de Isabel Teixeira, a atriz Regina Braga interpreta textos, conta histórias e canta músicas inspiradas no cotidiano da maior metrópole do país em um espetáculo que fascina e ensina.

+Os melhores conteúdos no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua Newsletter favorita do Terra. Clique aqui!

Todos os Direitos Reservados
Developed By Old SchooL