Bianchi, Rossi e Hubert: quais números estão aposentados no esporte a motor?

Bianchi, Rossi e Hubert: quais números estão aposentados no esporte a motor? Confira!

Bianchi, Rossi e Hubert: quais números estão aposentados no esporte a motor?

Enquanto o debate sobre a #10 de Pelé divide opiniões nas redes sociais, relembre quais números foram aposentados no esporte a motor em forma de homenagem

Bianchi, Rossi e Hubert: quais números estão aposentados no esporte a motor?
Imagem: Reprodução | Divulgação



O mundo homenageia Pelé. O maior jogador de futebol de todos os tempos faleceu aos 82 anos, na última quinta-feira (29) em decorrência de complicações por um câncer no cólon. Um dos maiores atletas da história, deixou uma legião de fãs e um legado difícil de ser igualado dentro dos campos, com os feitos e as conquistas, e fora dele, como um embaixador do futebol.

Uma das homenagens cogitadas a Pelé seria a aposentadoria da camisa #10 do Santos, time no qual o Rei atuou por quase 20 anos e levou a inúmeras conquistas, entre elas o bicampeonato mundial em 1962 e 1963. O presidente do clube, Andres Rueda, chegou a anunciar que cogitava a aposentadoria do número, mas voltou atrás após entrevistas antigas do próprio Pelé surgirem, avisando que gostaria da camisa tendo sequência.

O GRANDE PRÊMIO se inspirou na tentativa de homenagem que dividiu opiniões e relembrou alguns dos números que estão aposentados no esporte a motor.

Desde 2015, o #17 na Fórmula 1 está aposentado por causa do piloto francês Jules Bianchi, que utilizava este número e faleceu em decorrência de um gravíssimo acidente sofrido no GP do Japão de 2014. Na época, Bianchi era piloto da Marussia e colidiu contra um trator, tendo graves danos cerebrais e falecendo nove meses depois.

Na Fórmula 2, o número #19 foi aposentado ao fim da temporada 2019 em homenagem ao piloto francês Anthoine Hubert. Ele era piloto da Arden e faleceu após um acidente na etapa da Bélgica, em Spa-Francorchamps, quando foi atingido em T pelo carro de Juan Manuel Correa.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

O Mundial de Motovelocidade tem vários números aposentados por conta de acidentes fatais, como o caso do #74 de Daijiro Kato, o #48 de Shoya Tomizawa, o #58 de Marco Simoncelli, o #39 de Luis Salom e o #50 de Jason Dupasquier.

Porém, o mais notável entre os números é o #46, de Valentino Rossi, mas que não foi por acidente fatal. A MotoGP optou por aposentar o número em homenagem a uma das maiores lendas da motovelocidade, que se aposentou ao fim de 2021.

Um dos motociclistas mais populares dos anos 1990, Kevin Schwantz teve o #34 aposentado pela MotoGP. O piloto conquistou o título mundial de 1993, mas se aposentou logo em 1995.

Na ocasião, o americano teve uma conversa com Wayne Rainey, antigo rival que ficou tetraplégico após um acidente. Schwantz já sofria com algumas lesões ao longo dos anos.

Campeão da MotoGP em 2006, Nicky Hayden teve o #69 aposentado em 2019, quase dois anos após seu falecimento, que não aconteceu nas pistas do Mundial.

O motociclista americano foi atropelado por um carro enquanto andava de bicicleta na Itália, e após cinco dias de internação com grave lesão cerebral, acabou falecendo.

Sete vezes campeão da Nascar, Dale Earnhardt faleceu em um trágico acidente na última volta da Daytona 500 de 2001. Considerado como um dos maiores da história da categoria, teve uma aposentadoria “não oficial” do #3.

Isso porque a equipe Richard Childress passou a não utilizar o número, salvo exceções com Dale Earnhardt Jr. Porém, a Nascar nunca se pronunciou oficialmente sobre a aposentadoria. Em 2012, o #3 voltou a ser utilizado pelo time.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

+Os melhores conteúdos no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua Newsletter favorita do Terra. Clique aqui!

Todos os Direitos Reservados
Developed By Old SchooL