Bolsas mantém forte recuperação, e dólar cai às mínimas

Apetite pelo risco dos investidores se reflete tanto na Bolsa como no câmbio; Ibovespa sobe 1,70%; já o dólar...

revistabaiacu - 13 de maio de 2022




Os mercados acionários dão continuidade ao movimento de recuperação na tarde desta sexta-feira, 13, e o aumento do apetite por risco também se reflete no câmbio. Enquanto o Ibovespa manteve-se acima dos 107 mil pontos na última hora, o dólar perdeu mais fôlego ante o real e marcou mínimas no nível dos R$ 5,04 no mercado à vista. O movimento está alinhado com o cenário internacional, com altas expressivas na Bolsa de Nova York e queda do dólar ante a maioria das divisas pelo mundo.

A presidente do Federal Reserve (Fed) de Cleveland, Loretta Mester, defendeu o aumento de juros de 0,50% nas próximas duas decisões monetárias, em junho e julho. Em discurso no Fórum Internacional de Pesquisa sobre Política Monetária, a dirigente, que vota nas reuniões do Comitê Federal de Mercado Aberto, citou setembro como um marco para avaliar como lidar com a inflação. “Se até a reunião do FOMC de setembro, as leituras mensais de inflação fornecerem evidências convincentes de que a inflação está caindo, então o ritmo dos aumentos das taxas pode diminuir. Mas se a inflação não moderar, pode ser necessário um ritmo mais rápido de aumentos das taxas”, disse.

O mercado também acompanha de perto o noticiário sobre a guerra no Leste Europeu e seus desdobramentos na economia global. A Rússia suspenderá o fornecimento de eletricidade à Finlândia por falta de pagamento a partir deste sábado, informou a RAO Nordic, subsidiária da empresa russa Inter RAO. O anúncio acontece dias após líderes finlandeses sinalizarem apoio à entrada do país na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Segundo a Fingrid, operadora do sistema nacional de transmissão, o suprimento de eletricidade na Finlândia não está sob ameaça, uma vez que as importações russas representam cerca de 10% do consumo total no país.

No noticiário doméstico, o governo pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF), por meio da Advocacia-Geral da União (AGU), que suspenda a forma como os Estados aplicaram a alíquota única do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que incide no óleo diesel. Em março, uma lei aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro definiu que deveria haver em todo o País uma alíquota única do ICMS sobre o diesel. Os secretários estaduais de Fazenda fixaram um valor único do ICMS a ser cobrado nos combustíveis, mas permitiram descontos, o que possibilitou manterem a mesma alíquota que aplicavam anteriormente.

Às 14h30, o Ibovespa tinha alta de 1,70%, aos 107.481,75 pontos. Em Nova York, o índice Dow Jones subia 1,16%, enquanto o S&P500 e o Nasdaq ganhavam 1,16% e 3,73%, nesta ordem. O dólar à vista era negociado a R$ 5,05300, em queda de 1,70%.