Botafogo e Fluminense fazem clássico carioca por vaga no G-6 do Brasileirão

Times possuem 18 pontos, com vantagem para a equipe tricolor pelo saldo de gols

revistabaiacu - 27 de junho de 2022




Um dos principais duelos da 14ª rodada do Campeonato Brasileiro será realizado no Rio de Janeiro (RJ). O Engenhão será palco do Clássico Vovô entre Botafogo e Fluminense, que se enfrentam a partir das 16h do domingo. Com campanhas bem semelhantes, os dois brigam por uma vaga no G-6. Os números históricos favorecem o Fluminense, com 141 vitórias, contra 123 do Botafogo e 116 empates, num total de 380 confrontos.

Este é o clássico mais antigo do futebol brasileiro, sendo disputado desde o dia 22 de setembro de 1905 com um amistoso vencido pelo Fluminense por 6 a 0. No continente sul-americano fica atrás apenas de Rosário Central x Newells Old Boys, da Argentina, que se enfrentaram pela primeira vez três meses antes, no dia 18 de junho também de 1905. A história dá como o mais antigo duelo entre dois uruguaios Nacional e Peñarol embora seja contestado por historiadores e amantes do futebol. Teria ocorrido no início dos anos 1900.

O Fluminense chega embalado após vencer o Cruzeiro, por 2 a 1, e abrir vantagem nas oitavas de final da Copa do Brasil. No Brasileirão, vem de vitória, por 2 a 0, diante do Avaí e chegou a 18 pontos, iniciando a rodada em sexto lugar. O Botafogo também está vivo na Copa do Brasil, mas enfrenta o América-MG apenas na próxima semana. E também vem de uma vitória épica sobre o Internacional, por 3 a 2, em uma virada definida nos acréscimos em pelo Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). Também chegou a 18 pontos e iniciou a rodada na sétima colocação.

O técnico Luís Castro concedeu entrevista bastante forte nesta semana, criticando a estrutura do Botafogo. Ao falar do CT, por exemplo, afirmou que o local ‘não tem condições mínimas’ e que o solo serve para ‘estacionar carros’. Ele explicou, porém, que disse isso para que os responsáveis pelo projeto tenham ciência dos reais problemas que afetam o clube também fora de campo.

Para o clássico, ele terá alguns problemas. Um deles é ele próprio, já que está suspenso, assim como Philipe Sampaio, Patrick de Paula, Kayque e Lucas Piazon. Além disso, Rafael, Carlinhos, Barreto, Gustavo Sauer, Lucas Fernandes, Victor Sá e Diego Gonçalves estão lesionados. As boas notícias são que o meia Chay treinou normalmente e os zagueiros Victor Cuesta e Kanu voltam de suspensão.

Apesar da vitória, o técnico Luis Castro rechaçou sentimento de tranquilidade. “Não dá tranquilidade nenhuma porque sei que o balanço das temporadas se dá no fim. Portanto, nunca estarei descansado. Esse jogo para mim já não é mais nada. É passado”, garantiu.

O técnico Fernando Diniz, por outro lado, tem quase todo o time à disposição e a tendência é manter a base da escalação que venceu o Cruzeiro. A única dúvida é em relação ao meia Nonato, que sofreu entrada dura no jogo e chegou a ser substituído. Se não jogar, entra Wellington.

Diniz comentou que espera mais atenção no clássico para converter em gols as chances criadas, diferente do que ocorreu diante do Cruzeiro. “Parabenizar pelo que a gente fez, pela vitória, e saber que poderíamos ter aproveitado melhor as nossas chances. O que ficou de ruim foi que o placar teria que ter sido mais elástico. Precisamos fazer esses ajustes para o clássico.”