‘Chiquititas’: 25 anos da novela no Brasil; veja como está o elenco

Uma das novelas de maior sucesso da América do Sul, Chiquititas marcou a infâncias e revelou talentos

revistabaiacu - 15 de maio de 2022
‘Chiquititas’: 25 anos da novela no Brasil; veja como está o elenco



Em 1997, a primeira versão brasileira da telenovela Chiquititas foi ao ar, pelo SBT. A produção foi adaptada pela diretora Cris Morena, a partir da versão original argentina, e ganhou o País imediatamente. Com cinco anos de duração e um elenco completamente brasileiro, a novela deu visibilidade a muitos novos artistas que seguiram com a carreira no teatro e na TV, agora, a primeira versão completa 25 anos.

Chiquititas foi um dos maiores sucessos do SBT. Em 1997, após o início do musical, três milhões de pessoas passaram a consumir produtos da emissora, em relação ao ano anterior.

Em 2013 a emissora lançou uma nova versão da novela. Diferente da primeira, que foi gravada na Argentina, com direção de Cris Morena, o remake foi readaptado por Íris Abravanel, após o SBT comprar os direitos, e foi gravada no Brasil. Além do sucesso de audiência na TV, a novela foi a produção mais vista na Netflix Brasil em 2020 e é um sucesso no streaming.

“Para mim, Chiquititas foi um presente de muitas maneiras, pela Mili, que foi uma personagem encantadora, pela amizade com o elenco. Até hoje somos uma grande família que construímos pelo tempo que moramos no mesmo prédio. Além do carinho das pessoas, dos fãs, foi muito rico na minha vida, como pessoa e profissional”, contou Fernanda Souza, que interpretou a personagem principal da primeira fase de Chiquititas, em 1997.

O mesmo sentimento é relatado por Giovanna Grigio, que interpretou Milena em 2013. Ela foi conhecer Fernanda Souza quando foi selecionada para o elenco de 2013 e as duas se tornaram amigas nos bastidores.

Para Giovanna, Chiquititas foi uma novela que a ajudou a crescer e formar a sua personalidade. “Eu tenho muito carinho por essa época, eu era a mais velha da equipe, tinha 15 anos quando comecei e tínhamos muita responsabilidade, gravamos todos os dias, conheci o meu melhor amigo no set da Chiquititas, Filipe Bragança”, conta Giovanna.

“Faz dez anos que vivi aquilo, mas ainda é um projeto tão lindo, que tem um lugar tão especial no coração das pessoas, fez parte da minha formação como pessoa. É um projeto que tenho muito orgulho e recebo carinho do público que assistiu na TV há dez anos, mas continuo recebendo carinho de quem começou a ver agora. Muita gente cresceu assistindo Chiquititas e eu cresci fazendo.”

Para comemorar os 25 anos do sucesso, o Estadão relembra alguns personagens que marcaram a história das Chiquititas e fizeram parte da infância e adolescência de muita gente.

Milena, ou Mili, é a personagem principal de Chiquititas. Ela é filha de Gabriela, uma jovem muito rica e herdeira de um conglomerado. Gabriela se apaixona e acaba engravidando de um rapaz muito pobre, funcionário da família. Seu pai, avô de Mili, José Ricardo, tenta impedir o relacionamento e conta à filha que a garotinha morreu no parto. Ele sequestra a recém-nascida e funda o orfanato Raio de Sol, para que a criança não cresça sozinha. A trama conta como Milena e Gabriela restabelecem o laço de mãe e filha.

“Tenho muito orgulho da personagem que eu fiz e de tudo que eu consegui entregar com essa protagonista, mesmo tão novinha, com 12 anos, na minha segunda novela e com um volume de texto muito grande. Me trouxe muita maturidade profissional. Tenho saudade, vou na Argentina, visito a casa que eu morei, para mim é uma novela que continua sendo uma referência de amizade, amor e sonhos”, contou Fernanda Souza, ao Estadão.

Carol é uma mulher jovem com senso de justiça, que luta por igualdade. Ela trabalha desde muito nova e acaba tendo uma oportunidade de estágio no orfanato. Com o sonho de ser professora, ela aceita a vaga e acaba construindo laços mais fortes do que imaginava. Cercada de garotas que estão entrando na adolescência, ela se vê na infância das crianças que não tem referências e decide se tornar uma. Um dia, ela encontra uma garota abandonada na rua, Maria, e decide levá-la para o orfanato e acaba entrando na justiça para adotar a garotinha. A decisão muda a sua vida.

Carol foi interpretada por Flavia Monteiro, que continua trabalhando como atriz e interpretou Aya, na novela Gênesis, da Record TV, em 2021.

Patrícia, ou Pata, é uma garota que sempre morou nas ruas. Para se defender, ela acabou desenvolvendo uma personalidade agressiva e difícil de lidar, nunca soube dar ou receber afeto. Quando levada ao orfanato, Pata sente muita dificuldade em se enturmar com as outras garotas. Ela também sempre pensa que irão machucá-la de alguma forma. É uma personagem que mostra o poder da amizade, quando não se tem uma família por perto.

A personagem foi interpretada por Aretha Oliveira, que hoje é influenciadora digital. Aretha era a única atriz negra do elenco infantil e teve um importante papel com o crescimento da personagem na novela. Ela chegou a ter uma das bonecas mais vendidas da época, que também foi uma das primeiras bonecas negras do Brasil.

Maria foi uma garotinha que chegou ao orfanato após ser resgatada das ruas por Carolina. Ela foi interpretada por Carla Diaz e era a garota mais nova do orfanato. Carol acaba se afeiçoando à garotinha e entra na justiça para adotá-la, até descobrir que o pai da criança quer a sua guarda.

Maria foi o primeiro papel de Carla Diaz na TV, hoje a atriz continua atuando para a televisão e plataformas de streaming. Recentemente, a atriz participou do Big Brother Brasil, na edição de 2021.

Marcos Pasquim interpreta Felipe, o pai de Maria. Após a mãe da garotinha adoecer e acabar morrendo, ele quer a guarda da criança, mas descobre que ela está vivendo no orfanato, cercada pelo amor das novas amigas e da professora. Felipe, então, entra numa batalha judicial contra Carolina para reaver a guarda da filha e os dois passam a se odiar. Quando são obrigados a conviver, pelo bem da criança, Felipe e Carol acabam se apaixonando.

Com mais de trinta personagens para a televisão, o último trabalho de Marcos Pasquim foi o filme Juntos e Enrolados, da produtora Kromaki em parceria com a Globo Filmes.

Tati é uma das crianças que cresce com Mili no orfanato. Ela e sua irmã Vivi estão lá desde muito novas, mas saem do local após o pai, Cícero, um homem alcoólatra, reaver a guarda das duas. Mas, ao contrário de Vivi, Tati não consegue se acostumar com o núcleo familiar. Ela volta a morar no orfanato, onde se sente em casa e tem uma verdadeira família. Lá, a garotinha cresce e vive dilemas, como o primeiro amor, durante a adolescência.

A atriz que deu vida à Tati, Ana Olívia Seripieri, continuou trabalhando com novelas depois de Chiquititas. Ela participou da novela Pequena Travessa, entre 2002 e 2003 e de Amigas e Rivais, em 2007. Hoje, ela é formada em administração e trabalha numa empresa de tecnologia.

Bel é uma garotinha muito pobre que mora nas redondezas do orfanato, ela é muito romântica e sonhadora e acaba desenvolvendo uma relação de amizade com as crianças e também vive seus primeiros relacionamentos amorosos.

Ela vai morar no orfanato depois de se tornar uma vítima de violência doméstica. Lá, ela vive um triângulo amoroso, com Zeca e Bernardo.

Vivian Nagura, que interpretou a personagem, continua atuando. Além disso, ela é professora de pilates e estuda Marketing. Vivian participou do reality show A Casa, da Record TV em 2017.