Como economizar energia no inverno

A chegada da estação mais fria do ano torna a conta de energia mais cara por conta de alguns...

revistabaiacu - 23 de junho de 2022
Como economizar energia no inverno



O inverno chegou! E apesar de a estação ter começado oficialmente esta semana, já era possível perceber que ela se antecipou, né? Em maio, por exemplo, o estado de São Paulo alcançou as temperaturas mais baixas dos últimos 15 anos. E como resposta ao frio, também deu para notar um aumento no consumo de luz. 

Aliado a isso, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou, na última terça-feira (21), um reajuste de até 63,7% nas bandeiras tarifárias. A cobrança passa a valer a partir do dia 1º de julho, por isso, é muito importante encontrar maneiras de como economizar energia elétrica neste período, principalmente em dias mais gelados. 

Nesta época, é bem comum que as pessoas tomem banhos mais demorados, mas você sabia que o uso do chuveiro pode representar até um terço da conta em períodos de uso prolongado? Pois é! Muitas vezes nem é possível perceber essa tendência como bem explica Giulianno Bolognesi Archilli, especialista de projetos de Eficiência Energética. 

“O inverno é marcado pelo consumo maior de alguns equipamentos, como os chuveiros, mas também pode haver uma redução de outros, como geladeiras e freezers. O cliente precisa ficar atento porque é possível compensar este consumo mais elevado adotando hábitos em relação a outros equipamentos”, destaca o profissional.

Portanto, que tal conhecer maneiras de como economizar energia durante o inverno? Separamos algumas informações essenciais sobre o consumo de energia de aparelhos e pequenos cuidados para combater o desperdício de luz e economizar. Confira:

Antes de mais nada, não dá para negar que o chuveiro elétrico é o aparelho que mais consome energia em uma residência. E quando utilizado no modo “inverno”, o acréscimo no consumo de luz é de até 30% em relação ao modo “verão”. Por isso, o chuveiro passa a ser responsável por cerca de 25% a 35% dos gastos em uma conta de luz. 

Neste caso, Giulianno diz que para economizar, o certo é reduzir ao máximo o tempo de banho. “Dessa forma, o cliente consegue reduzir, além da energia, o consumo de água. Um banho de 15 minutos utiliza aproximadamente 135 litros de água. Se o cliente fechar o registro ao se ensaboar, o consumo do líquido cai cerca de 45 litros — uma significativa economia de 33%”, explica o especialista.

O inverno também contribui, para quem possui, o uso de lavadoras, secadoras e ferro de roupa. E estes aparelhos quando utilizados com muita frequência podem impactar e muito na fatura de energia elétrica. Para economizar energia, a dica é deixar acumular roupa e fazer tudo de uma única vez. Então, vale a pena separar um dia na semana exclusivo para lavar, secar e passar roupa, viu?

Para quem reside em locais de clima bem gelado, o aquecedor de ambiente passa a ser frequente nesta época do ano. A grande questão é que seu consumo médio mensal do aparelho pode chegar a 160 kWh. Bem alto, né?

Neste caso, o especialista tem duas dicas. A primeira é: quando for comprar um aquecedor para sua casa, certifique-se que seu tamanho e potência estão adequados ao ambiente em que será utilizado, já que isso evita gasto de energia desnecessário.

A segunda dica é escolher modelos com timer, assim, quando o cômodo estiver na temperatura ideal, o aparelho desliga e não consome energia.

Além do chuveiro elétrico, a geladeira é outro eletrodoméstico que está na lista dos que mais consomem energia em uma residência. De acordo com Giulianno, ela consome, em média, de 15% a 20% do valor da sua conta de luz. Ou seja, é necessário tomar muito cuidado em relação ao consumo do item. Por isso, existem algumas dicas válidas:

Já para quem está em busca de uma nova geladeira, a sugestão é procurar por modelos com a tecnologia inverter, já que economizam cerca de 40% a 50% se comparado aos modelos convencionais.

O uso de iluminação representa cerca de 5 a 15% do valor da sua conta de energia, afinal, não dá para negar a sua importância dentro de casa. Ainda assim, é bom evitar acendê-las durante o dia, aproveitando ao máximo a luz natural. Para isso, vale a pena abrir as janelas, cortinas ou persianas e deixar a luz solar iluminar sua residência.

Outra possibilidade de economizar na iluminação é apostando em cores claras nas paredes. Ou seja, se tiver alguma reforma por aí, não custa nada pensar em cores novas para os locais mais usados da casa. 

Ah, e lembre-se sempre de apagar as lâmpadas dos ambientes desocupados e, principalmente, de dar preferência a lâmpadas de LED. Elas iluminam melhor, duram mais e consomem menos energia.

Mesmo após a pandemia, muitas pessoas ainda cultivam o hábito de permanecer em casa por mais tempo. Seja por motivos de home office ou de cuidados com a saúde, o uso da televisão passou a ser mais frequente. A estimativa é de que, no Brasil, a televisão passe de 4 a 5 horas por dia ligadas. 

Para economizar com o aparelho, o ideal é lembrar de sempre desligar a TV enquanto estiver dormindo. Agora se você é do tipo de pessoa que só cai no sono enquanto assiste algo, priorize as funções timer ou sleep, pois tornarão o desligamento automático.

Caso esteja pensando em mudar de televisão, escolha sempre aparelhos mais econômicos e modelos mais modernos, tudo bem? Desse jeito, vai ficar mais fácil economizar energia na sua residência.

Fonte: Giulianno Bolognesi Archilli, especialista de projetos de Eficiência Energética da CPFL.