Confederação de Atletismo promete denunciar Botafogo se retirar pista olímpica do Nilton Santos

Presidente da entidade, Wlamir Campo pretende ter uma reunião com Eduardo Paes para saber sua posição formal e citou:...

revistabaiacu - 5 de agosto de 2022
Confederação de Atletismo promete denunciar Botafogo se retirar pista olímpica do Nilton Santos



A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) não gostou da ideia do prefeito Eduardo Paes de retirar a pista de atletismo do Estádio Nilton Santos. Algo que incomoda o acionista John Textor em virtude da distância da torcida para o campo. O presidente da entidade, Wlamir Campos, afirmou que pretende denunciar o Botafogo ao Ministério Público caso a retirada se confirme.

– Queremos saber a posição formal do prefeito e o que será feito da pista. Se houver intenção de retirada, vamos ao Ministério Público. Trata-se de um estádio olímpico, com campo de futebol e duas pistas de atletismo, a interna e a externa, de aquecimento e com o mesmo piso. Tudo construído com dinheiro público – alega Wlamir, em entrevista ao jornal “O Globo”.

– Não são móveis e por isso não faz sentido retirá-los. Este é o melhor e único local no Brasil com condições de receber mundiais por causa das duas pistas deste nível. Falamos de cerca de R$ 20 milhões cada, somente em termos do piso e em valores atuais. Foi nela que Usain Bolt deu o último “tiro” olímpico – argumenta o presidente, que pretende ter uma reunião com o prefeito.

Por outro lado, o Glorioso afirmou que não apresentou qualquer projeto à prefeitura. Contudo, ela se colocou à disposição do clube e aguarda um projeto para a modernização do Nilton Santos. A CBAt também questionou o valor do aluguel do estádio para o atletismo, que atualmente é de R$ 150 mil por dia.

– Uma coisa é concessão. Outra é mudar o objeto do equipamento público. Em uma comparação simples, é como alugar uma casa com piscina e aterrá-la para estacionar o carro. E, ao deixar o imóvel, o inquilino entregar a casa sem piscina. Textor deve blefar sobre sair do local, já que há nova concessão até 2051 – citou Wlamir.