Entenda por que suas baterias velhas estão inchadas

Estufamento é problema comum na tecnologia, mas problema tem aumentado conforme cresce nossa dependência por esses aparelhos

revistabaiacu - 13 de maio de 2022




Entre os vários laptops que apareceram em sua mesa de trabalho nos dois últimos meses, o especialista em TI Gareth Belton diz que viu sete ou oito baterias inchadas. Belton, 22 anos, trabalha para uma pequena empresa agrícola no estado do Maine, e disse que nenhuma delas era muito velha – talvez tivessem de três a cinco anos, segundo sua avaliação.

Depois de se deparar com outra bateria inchada que ele acabaria armazenando em um cofre amarelo à prova de fogo, Belton compartilhou seus achados na r/spicypillows, uma comunidade do Reddit com mais de 60 mil participantes que compartilham imagens de baterias usadas em laptops, celulares, mp3 players e consoles de videogames que estufaram muito em relação ao seu tamanho original.

“Eu diria que isso acontece com cerca de 10% dos laptops que passam por mim”, disse Belton. “Já vi isso em celulares, porém é mais raro.”

Relatos de baterias inchadas se tornaram mais comuns conforme nossa dependência de aparelhos recarregáveis aumentou, e as consequências podem ser, no mínimo, alarmantes. Não é raro ver baterias incharem até deixar aberto o dispositivo que antes estava completamente fechado. (Imagine uma versão do personagem Chestburster da franquia “Alien” em um dispositivo eletrônico e você está no caminho certo.)

Mas não tire conclusões precipitadas: por mais assustador que esse estufamento possa parecer, nem sempre é um sinal de certeza de perigo -, mas apenas que a bateria não durará o mesmo de antes.

Veja o que você deve saber sobre por que isso acontece, o que se pode fazer para minimizar as chances de ver uma bateria inchada e o que fazer no caso da sua já estar assim.

Podem ser, mas nem sempre é o caso.

“O estufamento sem dúvidas não é algo bom e indica desempenho reduzido”, disse David Mitlin, pesquisador de baterias e professor da Universidade do Texas, em Austin. “Mas isso não significa que a bateria vai pegar fogo imediatamente.”

Contudo, baterias inchadas podem causar problemas. Elas podem, por exemplo, danificar outras partes de um dispositivo à medida que incham.

A tela frágil de um smartphone talvez fique trincada se uma bateria estufada fizer muita pressão sobre ela. Já no caso de um laptop, uma bateria que começou a inchar pode empurrar seu touchpad para fora do lugar ou avariar outras partes do computador.

Em alguns casos, uma bateria estufada pode impedi-lo de usar um gadget como deveria. O colunista de tecnologia do Washington Post, Geoffrey A. Fowler, encontrou entre seus dispositivos um Samsung Galaxy Note 8 com uma bateria tão inchada que a parte de trás dele foi descolada. (Entramos em contato com a Samsung para explicar o ocorrido, mas não tivemos retorno.)

Se você encontrou uma bateria estufada em sua casa ou um dispositivo cuja bateria está assim, há algumas coisas para se levar em consideração. Primeiro, faça o possível para parar de usar a bateria ou o produto a que ela pertence. Não a recarregue também.

Em alguns produtos, como telefones sem fio e certas câmeras, é fácil remover as baterias recarregáveis. Caso possa fazer isso com segurança, remova cuidadosamente a bateria e guarde-a em um recipiente à prova de fogo. Se você não tiver um, Belton recomenda colocar a bateria em um balde com areia. Em seguida, você deve entrar em contato com uma instituição de coleta de baterias para reciclagem, que saberá a melhor maneira de lidar com isso.

Mas nem todo gadget do seu dia a dia tem uma bateria que você mesmo pode remover. Caso descubra uma bateria inchada em um desses dispositivos, entre em contato com o fabricante para ser orientado a respeito do que fazer. No entanto, se no fim das contas você tiver que lidar com isso por conta própria, um fabricante de baterias deve poder ajudá-lo a descobrir o que precisa fazer.

Em uma palavra: gases – exatamente quais depende dos materiais específicos dentro dessas baterias. Mas para entender de onde vêm esses gases, precisamos considerar a química que faz uma bateria recarregável de íons de lítio funcionar.

Resumindo, quando você recarrega uma dessas baterias, os íons de lítio fluem de uma extremidade à outra e se movimentam na direção oposta quando a bateria está sendo usada para alguma coisa funcionar. Esses íons se movimentam em meio a um mar de gosma chamado eletrólito e, conforme você continua carregando e descarregando a bateria ao longo do tempo, essa gosma começa a se decompor e produzir gases como consequência disso. Quando esses gases se acumulam, a bateria de seu gadget pode começar a inchar de forma visível.

Então, se essa degradação é uma parte natural de como essas baterias recarregáveis funcionam, por que nem todas estufam em algum momento?

A resposta, de acordo com Mitlin, é que nem todas as baterias recarregáveis são iguais. As empresas investem muito dinheiro em pesquisa e desenvolvimento de aditivos usados junto com os eletrólitos para tentar minimizar essa deterioração. E a maneira como uma bateria recarregável é desenvolvida também influi nesse processo.

“Todas as baterias de íons de lítio são diferentes de uma forma ou de outra”, disse Venkat Viswanathan, professor de engenharia mecânica na Universidade Carnegie Mellon. “É uma lei da natureza.”

De acordo com Viswanathan, algumas baterias recarregáveis têm proteções de metal rígido que resistem ao acúmulo de pressão interna e não se deformam muito visivelmente. Mas outras, como as baterias conhecidas como “pouch” ou Li-Po, que são encontradas em dispositivos como laptops e smartphones, têm laterais mais flexíveis e são mais propensas a inchar conforme os gases se acumulam em seu interior.

Bem, nem sempre será possível deter esse processo. É algo com que você apenas terá de se acostumar. Entretanto, existem algumas coisas que se pode fazer para minimizar o risco de se deparar com uma bateria inchada no futuro.

Não deixe seus gadgets esquentarem demais: altas temperaturas podem acelerar a velocidade de decomposição da gosma de eletrólitos, o que pode contribuir para o acúmulo de gases dentro de uma bateria. E mesmo se esse aquecimento não fizer a bateria estufar, segundo Mitlin, isso com certeza causará danos que afetarão o desempenho da bateria no futuro.

Felizmente, muitos de seus gadgets contam com recursos para evitar que eles funcionem sob altas temperaturas durante longos períodos. Seus celulares, por exemplo, irão avisá-lo se aquecerem demais – quando isso acontecer, eles começarão a desativar certos recursos e diminuirão o brilho de suas telas. No pior dos casos, eles se desligarão sozinhos até esfriarem completamente.

Os laptops costumam lidar melhor com o aquecimento porque contam com sistemas de refrigeração internos, mas quando as temperaturas aumentam, como no verão, você deve tomar cuidado para não deixar seus gadgets dentro de um carro quente ou sob o sol por muito tempo.

Fique atento ao status de carga das baterias: manter uma bateria com carga alta é uma ótima maneira de desgastá-la ainda mais, então faça um favor ao seu técnico: não deixe sua bateria conectada a uma tomada na parede o tempo todo. O contrário também é verdade: por razões químicas ligeiramente diferentes, aquela importantíssima gosma eletrolítica também se degrada quando uma bateria fica completamente descarregada, de acordo com Viswanathan.

Isso mesmo. Manter seus gadgets tanto totalmente carregados como descarregados pode contribuir para o estufamento da bateria ao longo do tempo.

O conselho dele é: assim que o status da bateria de seu gadget atingir 100%, desconecte o carregador da tomada e use-o normalmente. Então, quando a bateria ficar entre 10% e 20%, recarregue-a outra vez.

Tente não deixar seu gadget cair: sabemos que falar é fácil, difícil é fazer isso.

Normalmente, se o seu laptop caísse de suas mãos, a primeira coisa com a qual você se preocuparia seria se a tela ainda estaria intacta. Mas Viswanathan diz que esse tipo de acidente pode levar a situações nas quais uma parte da bateria acaba ficando mais carregada que outras. Isso pode resultar em inchaço da bateria, assim como outras consequências nada agradáveis.

Alguns dispositivos, como certos laptops, são mais vulneráveis a isso do que outros por conta do local onde suas baterias estão armazenadas. Caso seu laptop tenha uma bateria que você possa remover sozinho, talvez seja uma boa ideia mantê-lo em uma capa protetora quando sair por aí com ele. O mesmo vale para celulares e tablets: uma boa proteção deve ajudar a evitar que tudo, inclusive a bateria, seja muito danificado.