Ezpeleta cita interesse de fábricas e equipes privadas na vaga da Suzuki na MotoGP

Diretor-executivo da Dorna, promotora do Mundial de Motovelocidade, Carmelo Ezpeleta contou que foi pego de surpresa com a decisão...

revistabaiacu - 14 de maio de 2022
Ezpeleta cita interesse de fábricas e equipes privadas na vaga da Suzuki na MotoGP



BASTIANINI, MARTÍN OU MILLER: QUEM FICA COM A VAGA NA DUCATI NA MOTOGP EM 2023?

Diretor-executivo da Dorna, a promotora do Mundial de Motovelocidade, Carmelo Ezpeleta afirmou que houve muita procura de fábricas e equipes privadas interessadas em substituir a Suzuki na MotoGP. Ainda surpreso com a opção da montadora japonesa de deixar o Mundial, o dirigente se preocupou em defender a saúde do campeonato, mas revelou que discutir o assunto com o Conselho da fábrica de Hamamatsu na próxima semana.

No último dia 2, a montadora de Hamamatsu pegou pilotos e funcionários de surpresa ao comunicá-los após um dia de testes em Jerez de la Frontera, na Espanha, que vai se retirar do campeonato após a temporada 2022. A Dorna reagiu de imediato, lembrando a Suzuki que os termos do contrato em vigência até 2026 não permitem uma decisão unilateral.

O BRASIL EM DUAS RODAS

Carmelo Ezpeleta vai se reunir com a Suzuki na próxima semana (Foto: Divulgação/MotoGP)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Na quinta-feira, a Suzuki afirmou que negocia com a empresa espanhola a possibilidade de deixar o campeonato e apontou para dificuldades econômicas e a necessidade de investir em novas tecnologias na indústria automotiva.

Em um comunicado enviado à imprensa, Ezpeleta explicou que foi informado da decisão por Livio Suppo, chefe da Suzuki, mas que ainda aguarda uma reunião com o Conselho da marca.

“Ficamos surpresos com a notícia que recebemos em Jerez, em relação ao comunicado da Suzuki ao time, e fui alertado por Livio Suppo de que a decisão era não continuar depois desta temporada”, disse Ezpeleta. “A primeira coisa que dissemos é entendíamos, mas que precisávamos conversar para entender a situação, pois temos um acordo com a Suzuki assinado apenas no ano passado”, relatou.

“Precisamos entender exatamente onde esta o problema. Em relação a isso, teremos uma reunião com representantes da Suzuki na próxima semana, com membros do Conselho”, explicou.

Carmelo defendeu, ainda, a saúde do campeonato e, mesmo sem citar nomes, disse que ocorreu uma grande procura não só de equipes privadas, mas também de fábricas interessadas em substituir a Suzuki. Por enquanto, a Leopard foi a equipe que manifestou publicamente o interesse em entrar no lugar dos japoneses.

“Para mim, é importante dizer que, obviamente, não estamos felizes que a Suzuki esteja de saída, mas o mais importante é que o campeonato está em ótima saúde”, defendeu. “Imediatamente depois que vimos a notícia desta situação, recebemos muitas demandas de fábricas ou equipes individuais, então precisamos decidir”, revelou.

“Para nós, o campeonato com cinco fábricas e seis equipes privadas é exatamente p que tivemos no ano passado, e está ok para nós”, considerou. “Dependendo de qual for a proposta, vamos decidir se queremos substituir a Suzuki ou continuar com a situação como está sem a Suzuki”, encerrou.

Com a saída da equipe, Álex Rins e Joan Mir estão no mercado a procura de vaga para 2023. Os dois já tinham encaminhado a renovação dos contratos com a Suzuki.

A classificação da MotoGP para o GP da França, em Le Mans, sétima etapa da temporada, acontece no sábado, às 9h10 (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2022.

SUZUKI DETONA BOMBA NA MOTOGP COM ANUNCIO DE SAÍDA EM 2022