FIA fala em “ato repreensível” e desclassifica kartista russo acusado de gesto nazista

O kartista russo Artem Severiukhin, de 15 anos, foi condenado pela FIA por comportamento "repreensível", depois de ser acusado...

revistabaiacu - 14 de maio de 2022
FIA fala em “ato repreensível” e desclassifica kartista russo acusado de gesto nazista



Artem Severiukhin foi desclassificado e perdeu a vitória conquistada na primeira rodada do Campeonato Europeu de Kart, realizada em Portugal, no último mês de abril. A punição foi dada pela Federação Internacional de Automobilismo devido ao comportamento “repreensível” do kartista russo. O piloto foi acusado de celebrar o triunfo com um gesto nazista no pódio.

Severiukhin já havia sofrido outras sanções por conta desse episódio. Além do rompimento do acordo com a Ward Racing, o Automobile Club d’Italia (ACI, do italiano Clube de Automobilismo da Itália) determinou o cancelamento da licença para pilotar concedida ao jovem.

Devido à determinação da FIA, que obriga pilotos russos a competirem sem representar o país por conta da invasão à Ucrânia, Severiukhin obteve a licença italiana. O país havia concedido a permissão ao kartista para garantir “a mais ampla liberdade de movimento entre as federações internacionais e permitir que pilotos cresçam profissionalmente na Itália”.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Artem Severiukhin foi alvo de investigação após vídeo que revelou gesto nazista (Foto: LRN Photo)

De outro lado, os comissários da FIA iniciaram uma investigação contra Severiukhin, depois que um vídeo mostrou a cena do piloto levantando o braço direito durante a execução do hino italiano. Após esse processo, a entidade decidiu que Artem violou cinco cláusulas do Código Esportivo Internacional, incluindo a proibição de “incitamento público à violência ou ao ódio”. O artigo do regulamento em que foi baseado veredito é o 12.2.1, que fala também em “ato prejudicial aos interesses do esporte em geral e atos que causem danos à moral da FIA e seus órgãos”.

O documento com a decisão explicou ainda que os comissários receberam após a competição “um relatório do diretor de prova e um relatório do coordenador de mídia sobre os fatos ocorridos no pódio durante a entrega dos prêmios em que o comportamento de Severiukhin pode ser considerado um gesto nazista”.

E ainda que tenham reconhecido um “arrependimento profundo” no pedido de desculpas feito por Severiukhin, os comissários entenderam que “esse tipo de comportamento é inaceitável e fortemente repreensível, e vai contra todas as normas regulatórios do automobilismo”. Em seguida, o texto confirma a decisão pela “desclassificação da competição”.

Assim, a vitória na etapa de Portugal ficou com Joe Turney. Artem está fora do campeonato desde então.