Fiasco com eliminação precoce no Paulistão pode custar caro aos cofres do São Paulo

Fiasco com eliminação precoce no Paulistão pode custar caro aos cofres do São Paulo Confira!

Fiasco com eliminação precoce no Paulistão pode custar caro aos cofres do São Paulo

Cerca de R$ 7 milhões deixarão de pingar nas contas do Tricolor após queda em Estadual

Fiasco com eliminação precoce no Paulistão pode custar caro aos cofres do São Paulo
Imagem: Reprodução | Divulgação



Qual o preço de um vexame? No São Paulo ele pode ser mais alto do que esperava a diretoria. Isso porque com a queda nas quartas de final do Campeonato Paulista ante o Água Santa, o Tricolor receberá a premiação mínima de R$ 450 mil, oferecidos ao sexto colocado da competição.

O valor é bem inferior aos que são ofertados pela FPF (Federação Paulista de Futebol) ao campeão (R$ 5 milhões) e vice-campeão (R$ 1,65 milhões) do Estadual.

+ Queda para o Água Santa no Paulistão é 14º vexame do São Paulo em mata-mata nos últimos dez anos

Segundo fontes do clube ouvidas pelo LANCE!, o prejuízo do São Paulo ainda acumula cerca de R$ 6 milhões que deixarão de ser arrecadados com bilheteria com os confrontos como mandante na semifinal e final da competição.

Nas metas estipuladas pela gestão Julio Casares e aprovadas pelo Conselho Deliberativo, era esperada a chegada do São Paulo pelo menos à decisão, como ocorreu no ano passado.

Nas demais competições, os objetivos traçados pelo São Paulo seguem os mesmos do ano passado também. O clube espera chegar à final da Copa Sul-Americana, repetir a semifinal na Copa do Brasil e se classificar para a próxima Copa Libertadores por meio do Campeonato Brasileiro.

Sem a premiação do Paulistão, a tendência é que o cenário financeiro se torne mais complicado para o Tricolor, que já passou a primeira janela europeia do ano em branco. A expectativa é que haja arrecadação de R$ 135 milhões com a negociação de atletas.

O balanço de 2022 do São Paulo é esperado para abril, com boas notícias. Os números estão para serem fechados com superávit, o primeiro desde 2018.

Com presença recorde de público no Morumbi em seus jogos, além de superar metas esportivas e de venda de atletas, a expectativa é por uma dívida de curto prazo inferior a de longo e redução da dívida geral de cerca de R$ 700 milhões.

Segundo divulgado pela página ‘São Paulo.Blog‘, o clube projeta ter angariado R$ 650 milhões, 17% acima dos R$ 540 milhões previstos inicialmente.

+Os melhores conteúdos no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua Newsletter favorita do Terra. Clique aqui!

Todos os Direitos Reservados
Developed By Old SchooL