Leclerc completa ‘trinca dos treinos’ e lidera TL3 do GP da Espanha de Fórmula 1

A abertura do sábado da classificação do GP da Espanha foi bem quente pelo sol forte em Barcelona e...

revistabaiacu - 21 de maio de 2022
Leclerc completa ‘trinca dos treinos’ e lidera TL3 do GP da Espanha de Fórmula 1



FÓRMULA 1 2022: TUDO SOBRE A SEXTA-FEIRA DO GP DA ESPANHA | Briefing

Acabaram os treinos livres no calor de Barcelona. Na manhã deste sábado (21), que terá classificação em algumas horas, os carros foram à pista para a terceira e última sessão livre do GP da Espanha. Nas últimas tentativas de entender as novidades trazidas por todas as equipes com as atualizações em tempo da definição do grid, a pista nem esteve tão movimentada. No fim da hora, Charles Leclerc ficou com a liderança.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Ferrari e Red Bull se opõem em ‘dia de testes’ na Espanha. Mercedes reage

Mas não dá para negar que o terceiro treino livre deixou um gostinho de quero mais. O motivo: os seis primeiros colocados – duplas de Ferrari, Red Bull e Mercedes – estiveram separados por somente 0s488. Leclerc fez 1min19s772, enquanto Sergio Pérez, o sexto, fez 1min20s260.

Max Verstappen foi o segundo colocado, somente 0s072 atrás de Leclerc. George Russell foi o terceiro a último na lista dos que baixaram de 1min20s, enquanto Lewis Hamilton e Carlos Sainz, nesta ordem, aparecem em quarto e quinto, antes de Pérez.

Ainda que fora deste pequeno grupo, Lando Norris esteve só 0s6 mais lento que o líder: bom número para quem aparece na sétima colocação. Kevin Magnussen foi o último a ficar no mesmo segundo e, junto a Valtteri Bottas, e Esteban Ocon, fechou o top-10.

O fim de semana está, até aqui, invicto de bandeiras vermelhas. O que não quer dizer que tenha algum tipo de problemas. Os primeiros minutos do TL3 apresentaram dois focos de incêndios nos freios traseiros dos carros. Inicialmente, Pierre Gasly; em seguida, e de maneira mais séria, Mick Schumacher. Os dois tiverem de entregar os carros nas garagens, respectivamente, de AlphaTauri e Haas. Nenhum deles voltou à pista.

GRANDE PRÊMIO cobre in loco as ações da categoria no Circuito de Barcelona-Catalunha com Eric Calduch e, além disso, acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL. Logo mais, a classificação começa às 11h [Brasília, GMT-3].

Max Verstappen ficou no segundo lugar (Foto: Red Bull Content Pool)

Paddockast #148: O que está em jogo no GP da Espanha mais pesado dos últimos tempos

Confira como foi o TL3:

O terceiro treino livre, posicionado na hora do almoço no horário espanhol, entregou temperatura ainda mais quente que aquela das sessões da sexta-feira e cruzava a marca de 30°C. O céu era de almanaque: praticamente sem qualquer nuvem para as últimas preparações antes da classificação.

Quando o relógio apontou para as 13h locais [8h de Brasília], Lando Norris foi o primeiro a tomar a pista. O piloto da McLaren entrou no TL2 de ontem com parafina e pronto para alguns testes, mas o dia acabou cedo, porque Norris passou pela zebra e danificou o assoalho do carro. Com tudo recuperado, foi atrás do tempo perdido e de pneus médios.

Antes que mais gente pudesse ocupar a pista, problemas para Pierre Gasly. O carro apareceu com um foco de incêndio na traseira mesmo ainda dentro do pit-lane e fez com que a AlphaTauri trabalhasse rápido para controlar a situação e mandar o bólido recuar para a garagem.

Pierre Gasly teve problemas logo no começo do TL3 (Foto: Red Bull Content Pool)

O começo do TL3 era mais lento que o esperado. Valtteri Bottas foi mais um a sair, mas depois de dez minutos só os dois, Norris e Bottas, tinham voltas cronometradas. Alguns outros tinham entrado somente para voltas de instalação, mas retornado aos boxes.

Depois disso, um pouco mais de movimentação: os dois pilotos da Haas foram cravar volta veloz, assim como Yuki Tsunoda, que atacou a zebra de maneira dura e perdeu tempo. Mas um novo problema com fogo se manifestaria: Mick Schumacher também começou a ter algumas labaredas na altura do freio traseiro direito e levou o carro de volta ao pit-lane. Já junto a equipe o incêndio piorou e danificou bastante a parte traseira do Haas.

Por sorte, porém, nenhuma das situações causou interrupção na pista: apenas prejuízo para os pilotos. A Red Bull sequer havia colocado os carros na pista, mas passou a fazer isso a partir daí. As voltas rápidas começaram a aparecer: logo de macios, Charles Leclerc andou em 1min20s278 e colocou 0s2 em Carlos Sainz, que teve o chassi trocado para este sábado após o que o chefe Mattia Binotto chamou de “pequeno vazamento”.

A situação de Lewis Hamilton também era um tanto quanto complicada. No rádio da Mercedes, o heptacampeão avisou que tinha um problema com a asa móvel e teria de voltar aos boxes para a equipe avaliar. Max Verstappen apareceu de pneus macios e fez boa volta, mas também deu seu aviso à equipe: tinha dificuldades de virar o carro quando em baixa velocidade.

Na marca de metade do treino, Leclerc liderava e tinha a companhia de Verstappen, Sainz, Sergio Pérez, George Russell, Hamilton, Bottas, Esteban Ocon, Guanyu Zhou e Fernando Alonso no top-10.

As duplas de McLaren e Aston Martin pintavam longe disso, fora do top-10, mas ao menos com uma explicação: ainda não tinham colocado os pneus macios para dar voltas lançadas. Quem fazia isso era Kevin Magnussen, que tirava o atraso da ausência de Schumacher para a Haas e pulava para a quinta colocação, na frente de Russell e Hamilton.

Após algum tempo ponteando a sessão, Leclerc apareceu para ser ainda mais rápido. Com 1min19s772 colocou um ponto de exclamação na posição daquele momento, mas trouxe Russell a reboque. O piloto da Mercedes também baixou de 1min20s e fez 1min19s920 para alcançar a segunda colocação. Enquanto isso, Hamilton reclamava: a Mercedes dava informações da volta de Russell, não da melhor volta geral, que era o que Lewis gostaria de ver.

A transmissão da TV foi encontrar Gasly. O piloto francês seguia fora do carro com menos de 20 minutos para o fim, algo que praticamente garantia que ele não voltaria ao cockpit. Assim, essencialmente, Gasly e Schumacher nem participaram do treino, apesar do alemão ter uma volta altíssima cronometrada.

FÓRMULA 1: ‘FATOR CASA’ PARA SAINZ EM BARCELONA AJUDA OU PRESSIONA?