Ricciardo nega remorso e diz que deixou Red Bull em 2018 por "aposta em mim mesmo"

Ricciardo nega remorso e diz que deixou Red Bull em 2018 por "aposta em mim mesmo" Confira!

Ricciardo nega remorso e diz que deixou Red Bull em 2018 por “aposta em mim mesmo”

De volta ao time taurino, agora como reserva, australiano voltou a falar sobre decisão de deixar equipe dos energéticos

Ricciardo nega remorso e diz que deixou Red Bull em 2018 por “aposta em mim mesmo”
Imagem: Reprodução | Divulgação



Daniel Ricciardo já falou diversas vezes sobre sua decisão de deixar a Red Bull em 2018. Mais recentemente, ao podcast Beyond the Grid, o australiano — que retornou à equipe taurina como reserva para a próxima temporada — voltou a rechaçar qualquer tipo de arrependimento pela decisão de rumar em direção a Renault, na época.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Desde sua saída, Max Verstappen — seu então companheiro de equipe — acumulou 30 vitórias e dois títulos mundiais. Ricciardo, por sua vez, anotou uma vitória e três pódios.

“Não olho para o assunto assim, porque nada é garantido. Se eu tivesse ficado nos últimos quatros, poderia dizer que teria mais pódios do que realmente tive? Tive quantos, três? Sim, estou confiante em dizer que teria mais. Mas você apenas não sabe. Obviamente, naquela hora, senti que (sair da Red Bull) era o melhor para mim. Senti que precisava de uma mudança. Se eu tivesse continuado, será que essa necessidade teria aumentado? Será que eu teria ficado, vamos dizer, mais curioso ou menos feliz?”, indagou o ‘Honey Badger’.

“Não é uma garantia que teria sido ótimo eu ter ficado. Não olho para trás e digo ‘cara, não deveria ter saído’. Mas, claro, consigo ser honesto comigo mesmo e dizer ‘sim, apostei um pouquinho em mim mesmo'”, reconheceu o australiano.

Apesar do gostinho amargo na boca, Ricciardo admitiu que sente orgulho de alguns momentos próprios longe da equipe taurina. Principalmente, em 2019 e 2020, quando defendeu a Renault.

“Sinto que a ida para a Renault foi muito boa, especialmente em 2020 — uma das melhores temporadas que pilotei na F1. Levar o time de volta ao pódio me orgulhou muito. Mas, obviamente, a McLaren… mesmo com a vitória. A vitória foi um ponto alto e não posso tirar ou ignorar isso. Mas posso olhar e dizer ‘tentei aqui também e não deu certo’. Você vive e aprende, mas não olho para trás com arrependimento. Apenas digo ‘ok, foi um desafio que encarei e não funcionou como eu esperava que funcionasse'”, finalizou o piloto de 33 anos.

+Os melhores conteúdos no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua Newsletter favorita do Terra. Clique aqui!

Todos os Direitos Reservados
Developed By Old SchooL