Rins analisa opções, mas mira moto do ano na temporada 2023: “Acho que mereço”

Espanhol se disse grato a todas as equipes que mostraram interesse nele, mas frisou que ainda não tomou uma...

revistabaiacu - 24 de junho de 2022
Rins analisa opções, mas mira moto do ano na temporada 2023: “Acho que mereço”



DO DOMÍNIO DE MARC MÁRQUEZ AO ZERO: A HONDA DE PONTA CABEÇA NA ALEMANHA

Em meio a rumores de que está fechado com a LCR Honda, Álex Rins garante que ainda não assinou um contrato para a temporada 2023 da MotoGP. O espanhol sinalizou, porém, que prefere ter uma moto do ano.

Álex ainda busca a recolocação profissional após a repentina decisão da Suzuki de deixar o grid da MotoGP no fim do ano. O espanhol vinha negociando com a marca de Hamamatsu a renovação do vínculo e, assim como Joan Mir, parecia próximo de assinar por mais dois anos quando foi pego de surpresa após o GP da Espanha com a notícia da saída do campeonato.

PROGRAMAÇÃO DA TV

Álex Rins ainda não decidiu que roupa vai vestir na temporada 2023 da MotoGP (Foto: Suzuki)

CLASSIFICAÇÃO DA MOTOGP

Agora, Rins tem opções não só com a LCR, mas também com a RNF, que será satélite da Aprilia no próximo, e com a Gresini, que utiliza equipamento Ducati.

“Realmente aprecio as equipes, as fábricas que vieram até mim, pois, sinceramente, não foi fácil”, disse Rins. “Estou bem confortável, pois temos algumas opções. Mesmo assim, ainda não decidi. Mas vamos ver se podemos dizer alguma coisa o mais cedo possível”, seguiu.

Sem nomear nenhuma das equipes que manifestaram interesse, Álex deixou claro que seria difícil descartar uma moto do ano, o que pode pender a balança mais para o lado da LCR Honda, já que a Gresini conta com uma Ducati desatualizada atualmente e a RNF já confirmou que terá uma Aprilia 2022 no próximo ano.

“Estou interessado em todas as opções, isso é certo”, frisou. “Não sei se vou parecer um pouco egoísta, mas acho que mereço uma moto de 2023, pois trabalhei muito, muito duro. Então têm opções que podem me dar uma moto de 2023 que são bem interessantes. Bem boas”, comentou.

“Vamos decidir, [mas] não é fácil. Não gosto de dizer não para uma equipe que está interessada em mim. Então estamos analisando bem a situação”, explicou.

Chefe da LCR, Lucio Cecchinello admitiu as conversas com o empresário de Rins, revelou que alguns pontos já foram acordados e espera ter um novo encontro ainda neste fim de semana, em Assen, para definir os pontos faltantes. O dirigente quer acertar a composição da equipe antes das férias de verão, que começam após o GP da Holanda.

O segundo treino para o GP da Holanda de MotoGP , em Assen, acontece nesta sexta-feira, às 9h10 (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2022.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2.

MILLER MANTÉM STATUS, MAS DÁ PASSO ATRÁS COM IDA PARA KTM NA MOTOGP