Rodrigo Constantino tem perfil bloqueado no Twitter

Rodrigo Constantino tem perfil bloqueado no Twitter Confira!

Rodrigo Constantino tem perfil bloqueado no Twitter

Horas depois de ser informado de que teve seu canal de vídeos desmonetizado pelo YouTube, o ...

Rodrigo Constantino tem perfil bloqueado no Twitter
Imagem: Reprodução | Divulgação



Horas depois de ser informado de que teve seu canal de vídeos desmonetizado pelo YouTube, o comentarista Rodrigo Constantino, da Jovem Pan News, teve seu perfil bloqueado no Twitter. Todas as postagens sumiram. No perfil, agora só aparece a informação de que a conta foi retida devido a uma notificação judicial.

Em sua conta no Instagram, Constantino compartilhou o conteúdo de um e-mail enviado pelo Twitter, informando que seu perfil foi removido em cumprimento a uma decisão judicial no âmbito de um processo que tramita em segredo de Justiça.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Ele considerou que está sofrendo censura. “Brasil = China. A ‘democracia’ venceu, o ‘amor’ petista é lindo! E todo ‘jornalista’ que aplaude essa censura é uma prostituta”, legendou o comentarista ao lado do print do e-mail.

Bolsonarista ferrenho, Constantino é um dos funcionários mais extremistas da Jovem Pan News, que costuma atacar cotidianamente o sistema judiciário e o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, além de espalhar fake news e estimular protestos antidemocráticos. Autoritário, chegou a pedir que os diretores do grupo demitissem jornalistas que criticaram seus comentários mais radicais na programação do canal.

Um de seus desafetos, o jornalista Cesar Calejon, viralizou nas redes sociais após detonar Constantino sobre as manifestações antidemocráticas pelo país. Na ocasião, o jornalista disse ser fácil para o comentarista inflamar a população em favor dos atos sendo que ele estava confortável em sua casa nos EUA.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Contrariado com a crítica de Calejon, Constantino condicionou sua permanência na Jovem Pan à demissão do jornalista, o que foi acatado pela emissora. Uma semana antes, ele tinha exigido a demissão de outro jornalista, Leonardo Grandini, após ser chamado de “puxa-saco” de Jair Bolsonaro.

Um de seus piores ataques, porém, foi contra o neto de Leilane Neubarth, por conta de uma foto do menino com um boné com a sigla CPX. Ele acusou a jornalista de ser “uma esquerdista caviar irresponsável”, porque, durante as eleições, bolsonaristas espalharam a fake news de que CPX se referia a uma facção criminosa, após Luiz Inácio Lula da Silva usar um boné com a sigla durante uma visita ao Morro do Alemão. “Lula visita ‘QG do Comando Vermelho’ no Alemão, RJ, e usa boné que significa ‘cupinxa (parceiro) do crime'”, espalhou o senador Flávio Bolsonaro.

Na verdade, CPX é abreviatura de complexo, como são chamados os conjuntos de favelas no Rio de Janeiro. E todo morador do Rio sabe disso. A sigla também é utilizada pelo perfil oficial da Polícia Militar do Rio de Janeiro para se referir aos complexos do Rio. Consta inclusive em documentos oficiais do governo fluminense, como no resumo da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2023.

Mas o post de Constantino funcionou como um apito de cachorro, fazendo vários de seus seguidores atacarem o neto de Leilane nas redes sociais, o que revoltou a apresentadora. “Você é muito baixo! Eu achava que você era apenas fanático e grosseiro, mas você é podre”, escreveu ela, recebendo apoio dos fãs, que criticaram duramente a atitude do bolsonarista.

Foi o que bastou para ele radicalizar ainda mais. “A esquerda insiste em fingir que a sigla representa apenas ‘complexo’, e não a marca usada pelos que controlam essas comunidades específicas, ou seja, o C.V. Vale tudo pra lacrar, sinalizar falsa virtude. E ainda xingam quem critica o uso da criança de ‘fascista’. Triste!”, escreveu.

Uma das últimas publicações de Constantino foi outra bate-boca, desta vez com o apresentador Danilo Gentili, após ser acusado de incentivar “loucos a incendiarem o país”.

Gentili fez referência ao fato de terroristas bolsonaristas espalharem bombas em Brasília para tumultuar a posse de Lula. Na internet, o suspeito preso, identificado como George Washington, costumava compartilhar as opiniões de Constantino.

Ao negar ter incentivado terrorismo, Danilo reforçou que sim, que ele “incentivou loucos” a agirem como terroristas. “Vai pra put* que te pariu, cínico do caraio [sic]. Você e outros fizeram exatamente isso: com o c* gordo grudado na cadeira em Miami ficaram, sim, incentivando louco a incendiar o país. Cínico, covarde”, escreveu o apresentador.

Embora a remoção de seu perfil no Twitter tenha sido ordem judicial, a desmonetização no YouTube foi iniciativa da própria plataforma.

Segundo o YouTube, o conteúdo de seus vídeos não estaria de acordo com as diretrizes da empresa.

“Durante uma análise recente, nossa equipe de especialistas em políticas examinou cuidadosamente os vídeos que você carregou em seu canal ‘Rodrigo Constantino'”, começou o comunicado do YouTube.

“Descobrimos que uma parte significativa do seu canal não está de acordo com nosso YouTube Políticas do programa de parceiros. A partir de hoje, seu canal não está qualificado para monetizar e você não terá acesso a ferramentas e recursos de monetização”, conclui o aviso que justificou a desmonetização.

Para completar, a Jovem Pan News vem sofrendo pressão de uma campanha da Sleeping Giants Brasil, que, ao apontar o discurso golpista de funcionários do canal como Constantino e Paulo Figueiredo, tem conseguido fazer anunciantes de peso cortarem a publicidade da emissora.

+Os melhores conteúdos no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua Newsletter favorita do Terra. Clique aqui!

Todos os Direitos Reservados
Developed By Old SchooL