Todos os ex-‘BBB22’ parecem felizes, menos o campeão Arthur

‘Recancelamento’ e autoisolamento suscitam dúvidas sobre a saúde mental e o futuro do grande jogador

revistabaiacu - 13 de maio de 2022




O que acontece com Arthur Aguiar? Cadê o Pãozinho?

Duas semanas após triunfar no ‘BBB22’, o ator e cantor continua sumido da mídia e das redes sociais. Um afastamento voluntário, de acordo com um comunicado.

Enquanto isso, os outros 21 ex-participantes da última edição aparecem sorridentes e empolgados em festas, encontros com fãs, ações publicitárias, vídeos e fotos em seus perfis digitais.

Todos foram perdoados por seus erros no confinamento. Alguns até receberam um prêmio tão bom quanto o dinheiro oferecido no reality show: Jade Picon, por exemplo, conquistou um papel na próxima novela das 21h da Globo, ‘Travessia’.

Já Arthur foi ‘recancelado’. Tem numerosos críticos na internet, no meio artístico e na imprensa. Passou a ser desprezado até por quem demonstrava ser seu amigo na casa do ‘BBB’.

Com histórico de transtorno emocional, a ponto de ter pensamentos suicidas, conforme revelou Maíra Cardi, o campeão talvez tenha sucumbido mentalmente após quase 4 meses de batalha intensa pela sobrevivência no jogo.

Como observou a jornalista Amanda Pickler em live com este blogueiro aqui no Terra, Arthur pode ter deixado o programa imaginando ser uma unanimidade nacional e tenha tomado um choque de realidade ao constatar que, apesar da vitória, é detestado por milhões de pessoas.

Tudo indica que as incontáveis manifestações de reprovação e as execráveis ameaças anônimas afetaram o campeão. Ainda que forte, ele não é inabalável. Nas últimas semanas na casa já demonstrava vulnerabilidade psicológica e temor em relação ao julgamento público.

Contrariando as expectativas, Arthur Aguiar abriu mão da valiosa visibilidade midiática pós-‘BBB’. Se o motivo é cuidar da saúde mental, faz bem em evitar a toxicidade das redes sociais e o assédio presencial.

Fama, sucesso e dinheiro não garantem bem-estar. Boa parte dos artistas que vendem a imagem de vida perfeita são usuários de medicamentos contra a depressão e outros distúrbios. A superexposição cobra um preço alto.

A vida real pode ser bem mais cruel do que um reality show de TV.